CPI das Pedras vistoria aeroporto e BR-163

CPI das Pedras vistoria aeroporto e BR-163

Os vereadores componentes da CPI das Pedras, instaurada na Câmara Municipal de Cascavel, estiveram nesta quarta-feira (27) vistoriando o trecho danificado da rodovia BR-163 de onde foram retiradas as pedras e o taxiway do Aeroporto, onde foram utilizadas as pedras retiradas sem autorização dos órgãos competentes.

O secretário de Obras e vice-prefeito Mauricio Theodoro (PSDB) acompanhou a vistoria e se disponibilizou a entregar à CPI um relatório que já foi enviado ao Ministério Público (MP). Segundo ele, as pedras foram retiradas de um trecho de cerca de 800 metros e o valor do material seria de R$ 63 mil.

Para o vereador Paulo Porto (PCdoB), relator da CPI, é preciso oficiar o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit) para confrontar com os valores repassados pela prefeitura. “Além dos R$ 63 mil já declarados pelo secretário, precisamos saber o real valor desse prejuízo para reconstrução do trecho”, diz Porto, argumentando que além do valor das pedras, há os custos com hora-máquina e recursos humanos.

Outro apontamento do relator é sobre os danos ambientais. “Precisamos ter certeza que não houve nenhum prejuízo ambiental, por isso enviaremos um ofício ao IAP [Instituto Ambiental do Paraná]”, comentou. 

Paulo Porto destaca a importância da CPI dar uma resposta imediata à população. “Já sabemos que não houve autorização para a retirada, mas é de fundamental importância que a Câmara não se furte de fazer seu papel essencial de fiscalizar o Executivo”, lembra.

Já com escrivã “ad hoc” nomeada pelo presidente da Câmara, Marcio Pacheco (PPL), na reunião ordinária da próxima segunda-feira (1º) a comissão formalizará os primeiros ofícios à Prefeitura de Cascavel, IAP, Dnit e DER em busca de informações que subsidiem a investigação. Também serão designados aos trabalhos de consultoria um engenheiro  e um advogado.

Crédito fotos: Júlio Carignano