Crotalária Juncea pode ser uma alternativa para combater o Aedes Aegypti

Compartilhe

Paulo Porto faz indicação, junto com outros vereadores, ao executivo para estudar viabilidade de distribuir sementes da planta que atrai predadores naturais do mosquito da dengue
Em meio a pandemia de COVID-19, estamos deixando de lado a endemia de dengue por qual passa Cascavel. O Paraná tem mais de 50 mil casos, em Cascavel são quase 100 casos da doença. Por iniciativa do vereador Paulo Porto (PT), uma indicação ao executivo, assinada por vários vereadores, para estudar a viabilidade de usar Crotalária Juncea, uma planta originária da Índia, que tem como características atrair libélulas que são predadores naturais do Aedes Aegypti.
A Crotalária atrai a libélula, um inseto predador do mosquito da dengue. Com o plantio da Crotalária nos jardins ou quintais de casas, a libélula, que busca colocar ovos em água parada, assim como o mosquito Aedes Aegypti, vai depositar seus ovos, essas larvas vão se alimentar das larvas do mosquito transmissor da dengue acabando com aquele foco. O mesmo acontece com a libélula adulta, ela é predadora e se alimenta de pequenos insetos, o que inclui o Aedes Aegypti. Assim, quebra-se a cadeia reprodutora do mosquito da dengue.
Paulo Porto apresentou a indicação após receber informações da presidente da Associação de Moradores do bairro Cataratas, Sirlei Melo, que junto com outras lideranças estão desenvolvendo uma ação que distribui sementes da planta no bairro. “Algumas cidades já estão usando a Crotalária como auxilio no combate à dengue, é o caso de Sorriso, no Mato Grosso e Laranjeiras do Sul, aqui no Paraná, com bons resultados” afirma. Em Sorriso, no Mato Grosso, sementes de Crotalária estão sendo plantadas pela cidade, que num único mês de pleno verão, com chuvas intensas, não registrou nenhum caso de dengue depois que as sementes foram espalhadas pelo município. “É importante pensarmos em alternativas para o combate da dengue de uma forma natural, como a Crotalária faz atraindo predadores do mosquito, assim evitamos o uso de agrotóxicos” conclui Porto, que tem como uma de suas bandeiras o combate ao uso de agrotóxicos tanto na cidade como na área rural.
Porém, as outras armas de combate, como manter quintais e jardins limpos e sem água parada devem continuar. A Crotalária ajuda no combate a infestação, mas os cuidados tradicionais nos quintais e jardins permanecem. O combate à dengue é uma ação contínua de todos, e quando tiver algum sintoma não se auto medicar e procurar atendimento em uma UBS (Unidade Básica de Saúde) o mais rápido possível.