Porto encaminha demandas da comunidade escolar do Assentamento Valmir Mota

Melhoria das estradas rurais para que os ônibus do transporte escolar possam chegar até a comunidade, a instalação do parquinho infantil e do campinho de futebol “com traves”, obras de adequação do laboratório de informática e da biblioteca. Essas são as prioridades que as crianças da Escola Municipal do Campo Zumbi dos Palmares, localizada no Assentamento Valmir Mota, em Cascavel, fizeram questão de apresentar ao vereador Paulo Porto (PCdoB), que preside a Comissão Permanente de Educação da Câmara Municipal de Cascavel.

Por ocasião da entrega das cartilhas sobre o transporte escolar rural, as crianças foram reunidas na área comum da escola para recepcionarem os vereadores da Comissão de Educação. Os alunos quebraram o protocolo do evento, aproveitando a presença dos vereadores para cobrar promessas feitas ainda durante a inauguração da escola, em março de 2018.

Após a visita da comissão na escola, o vereador Paulo Porto cumpriu agenda específica sobre as demandas da comunidade escolar, com a diretora da Zumbi dos Palmares, Maristela Solda e com a presidente do Conselho Escolar, professora Vera Marcondes, demais professores, funcionários da escola e líderes da comunidade. Nessa semana ainda, Porto esteve na prefeitura, junto ao assessor do gabinete do prefeito Leonaldo Paranhos (PSC), Diego Gomes, encaminhando as reivindicações da comunidade. “O prefeito é sensível a essas demandas, sabe de suas responsabilidades e está comprometido com as soluções”, disse o assessor.

 

OBRAS PRIORITÁRIAS

Uma das questões mais complexas é a da readequação das estradas rurais onde estão as linhas do transporte escolar que atendem as crianças da escola Zumbi dos Palmares. Em dias de chuva, por exemplo, pelas péssimas condições da estrada, os ônibus não conseguem chegar até a comunidade, obrigando crianças, de até 4 anos, a caminharem na lama por quase dois quilômetros para chegar até onde o ônibus consegue descer e assim poderem frequentar a escola.

Tanto as crianças da escola municipal Zumbi dos Palmares quanto os adolescentes do Colégio Estadual do Campo Aprendendo com a Terra e com a Vida (localizado ao lado da escola, no assentamento), em sua maioria, dependem do transporte escolar. Além daqueles que moram no Assentamento Valmir Mota, onde ficam as escolas, um grande número de estudantes mora  no pré-assentamento Resistência Camponesa, distante 17 quilômetros da escola, ou no Acampamento 1º de Agosto, que fica a seis quilômetros da Zumbi dos Palmares.

Várias crianças relataram aos vereadores a dificuldade que tem quando chove, quando se obrigam a caminhar, sob chuva e na lama, para ir para a escola ou na hora de voltar para casa. “É de cortar o coração ver nossas crianças, inclusive as mais novinhas, tendo que percorrer trechos de até dois quilômetros, sob chuva, porque a estrada está muito ruim e os ônibus não conseguem chegar até o local”, relata a professora Vera Marcondes.

A diretora da escola, Maristela Solda, lembrou inclusive que a situação das estradas já se arrasta há vários meses, apesar das reiteradas solicitações feitas pela comunidade.

Outras duas obras são prioridades para a gestão escolar, conforme relata a diretora. Apesar de a escola ser uma obra ainda muito nova (foi inaugurada em março), problemas estruturais inviabilizaram o funcionamento do laboratório de informática e da biblioteca. A empresa responsável pelas obras de adequação começou a fazer as mudanças, porém o ritmo das obras está muito lento, com várias paralisações nos trabalhos.

Logo depois da inauguração a escola começou a enfrentar alagamentos a cada período chuvoso. Além do empoçamento da chuva no pátio, a água invadia as salas de aula, principalmente o laboratório e a biblioteca. Os equipamentos foram todos removidos e distribuídos em outras salas de aula, atrapalhando a dinâmica escolar. Foi feita a remoção do piso das salas, instalado um contrapiso mais elevado e as obras ficaram paradas por vários dias depois disso.

A diretora Maristela Solda, durante a visita do vereador, fez questão de mostrar cada detalhe dos problemas enfrentados pela escola e ao falar que outras salas também são frequentemente alagadas chamou uma das crianças que, curiosas, acompanhavam a visita. ”Pedro, o que acontece aqui quando chove?”. À porta, um dos garotos responde que tinha que usar os rodinhos para empurrar a água para fora para que a aula começasse.

 

ENCAMINHAMENTOS

 

Nessa semana, com os encaminhamentos do vereador Paulo Porto, a Prefeitura informou que a empresa pediu mais um prazo de até 30 dias para concluir as obras, justificando que teve dificuldade para adquirir a cerâmica original do piso instalado na obra. A aquisição precisou ser feita junto a indústria, que é de Goiás. Com a solução do problema do piso, agora vai ser preciso mexer nas bancadas fixas dos computadores, que ficaram muito baixas por conta da elevação do contrapiso.

A única questão que ainda vai demandar mais tempo para um encaminhamento adequado é a das estradas rurais. A resposta da Secretaria de Agricultura tem sido sempre sobre dificuldades jurídicas por conta das estradas passarem por áreas privadas, o que impediria a realização de obras públicas. “Vamos encaminhar isso de outra forma buscando uma solução para o problema, que é grave para a comunidade escolar”, disse o vereador após a reunião na prefeitura.

Quanto às obras, a prefeitura, através do assessor Diego Gomes, assegurou que o laboratório e a biblioteca serão concluídos dentro de mais alguns dias, conforme a própria empresa responsável anunciou. Quanto aos equipamentos de lazer para as crianças, a informação da prefeitura é que a licitação já está em fase final, devendo indicar os fornecedores dentro de no máximo duas semanas e que o prefeito Leonaldo Paranhos já autorizou o atendimento. E a secretaria de Educação informou que está em andamento a licitação para a aquisição dos novos quadros negros para a escola. Hoje, os quadros negros são apenas uma pintura na parede, com moldura.

“Precisamos atender a essa comunidade, garantindo transporte escolar de qualidade em estradas devidamente adequadas, precisamos de uma estrutura funcional e segura, com laboratório e biblioteca funcionando plenamente, assim como precisamos dos equipamentos para o lazer das crianças, igualmente importante quando se pensa numa educação inclusiva e plena”, comenta o vereador. “Vamos continuar acompanhando o cumprimento de cada uma dessas demandas da comunidade estudantil da Zumbi dos Palmares”.

 

TEXTO E FOTOS: 

Claudemir Hauptmann

 

GALERIA DE FOTOS DA VISITA À ESCOLA MUNICIPAL DO CAMPO ZUMBI DOS PALMARES