Denúncia da PGR contra Itaipu por violar  direito dos Avá-Guarani é um alento, diz Porto

Denúncia da PGR contra Itaipu por violar direito dos Avá-Guarani é um alento, diz Porto

educativa nacional de resgate e promoção da cultura do povo Avá-Guarani
como forma de combater o racismo e a discriminação. E, por fim, a PGR também requer
pedido público de desculpas por parte dos órgãos arguidos pelas violações
cometidas contra a etnia.

Conforme Paulo Porto, em síntese, “a toda poderosa Itaipu está nas
cordas”. Para ele, todas violações cometidas contra os povos Guarani – “tão
zelosamente escondidas pelas diversas direções da empresa, passando pelo
companheiro Jorge Samek e Nelton Friedich” -, estão agora a amostra, públicas

Porto encerra dizendo que ainda é cedo para comemorar, “mas ficará cada
vez mais difícil reafirmar o velho e preconceituoso discurso de que ´aqui não
havia índio´ no oeste do Paraná. Encerro parabenizando o Ministério Público
Federal! Parabenizando os aliados do povo Guarani! Parabenizando a histórica
teimosia das mais de vinte comunidades Guarani espalhadas por todo o oeste do
Paraná que seguem esperando pelos seis direitos e pela sua terra! E como os
Guarani costumam afirmar em momentos de luta e conquista: Aguyjevete Guarani
Kuere”. A expressão, numa tradução não literal, é uma benção guarani, uma
manifestação religiosa típica relacionada à força e à felicidade.

Assessoria de Imprensa Gabinete
Paulo Porto

Crédito para foto: Marcelino
Duarte/Assessoria CMC