Deputados Enio Verri e Professor Lemos falam sobre a Reforma da Previdência na Câmara de Cascavel

Deputados Enio Verri e Professor Lemos falam sobre a Reforma da Previdência na Câmara de Cascavel

A proposta da Reforma da Previdência (PEC 6/2019) apresentada pelo governo federal em tramitação na Câmara dos Deputados foi tema de um seminário na última sexta-feira (17.05), na Câmara Municipal de Cascavel.

Promovido pelo mandato do vereador Paulo Porto (PCdoB), o encontro contou com a participação do Deputado Federal Enio Verri e do Deputado Estadual,Professor Lemos. Os parlamentares explicaram como a reforma proposta significa um retrocesso na luta e nas conquistas dos trabalhadores do campo e da cidade.

Segundo Verri, além de aumentar o tempo de contribuição para os brasileiros, a reforma blinda os militares e visa favorecer os bancos ao instituir a capitalização.

O parlamentar destacou o aumento no número de anos trabalhados para ter acesso à aposentadoria, à diminuição do valor do Benefício de Prestação Continuada (BPC), com possibilidade de as pessoas receberem aos 60 anos, mas somente R$ 400, e o valor integral do salário mínimo somente com 70 anos de idade.

Segundo Enio, outras medidas poderiam ser tomadas no lugar de reformar a previdência, como taxar grandes fortunas por exemplo. “A política tributária brasileira é uma das mais injustas do mundo. Ela tributa os pobres e dá vantagens gigantescas aos ricos. É preciso que isso seja invertido”, denuncia Verri.

O deputado também reiterou o interesse do mercado financeiro na aprovação da PEC 6/2019. “O povo perde muito, mas os bancos estão muito felizes com esta proposta. Quando a Bolsa de Valores está bem, batendo recordes, o povo está mal. Quanto mais próximo de votar a Reforma, mais a Bovespa sobe. Nosso desafio é mostrar para a população que esta reforma é um golpe uma armadilha”.

Professor Lemos também alertou que a medida não foi efetiva em outros países que instituíram o sistema de capitalização na previdência e voltaram atrás. “A maioria dos países que tentou este modelo já recuou, e aqueles que ainda não recuaram estão trabalhando para voltar atrás. No Chile, este sistema elevou o índice de suicídio entre aposentados, chegando ao primeiro lugar da América Latina. Não deu certo no Chile e não vai dar certo aqui também”, afirma o deputado.

Fotos: Leandro Taques