Diamante do Oeste cria Divisão de Cultura Indígena

Diamante do Oeste cria Divisão de Cultura Indígena

Com objetivo de elaborar políticas públicas às comunidades tradicionais, o município de Diamante do Oeste, no Paraná, instituiu recentemente a Divisão da Cultura Indígena. O guarani Adriano Rokenju Chamorro, dirigente do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) foi nomeado pelo prefeito Renato Antonio Pereira para chefiar o departamento.

Com status de diretoria e subordinada ao gabinete do prefeito, a criação da divisão torna o município de Diamante do Oeste pioneiro na ação, uma vez que não existem no Paraná prefeituras que tenham criado secretarias ou diretorias específicas para tratar da temática indígena. Nem mesmo em Nova Laranjeiras, município que conta com a maior reserva indígena do Estado, há experiência similar.

Ex-candidato a vereador pelo PCdoB, Chamorro falou de sua expectativa com a criação da divisão e de sua responsabilidade. “Nosso objeto é buscar as melhorias para as aldeias, em especial em questões de saúde, agricultura e melhorias das estradas”, diz o guarani.

Chamorro relata que as aldeias necessitam de uma estrutura de um posto de saúde e ainda traça como objetivo para uma das aldeias a busca de recursos por meio dos royalties da Itaipu Binacional, uma vez que apenas uma das aldeias obtém repasses da compensação financeira.

O prefeito ainda estuda a possibilidade de implantar a estrutura da divisão na própria comunidade indígena. “A criação deste departamento é um compromisso de nossa campanha em virtude do município ter duas aldeias com áreas demarcadas. Já a nomeação do Adriano é resultado de seu esforço e mérito da comunidade dos guarani que estão cada vez mais buscando sua organização”, afirma Renato Pereira.

Para o professor e indigenista Paulo Porto, vereador do PCdoB em Cascavel, o ato é uma demonstração de sensibilidade do prefeito. “Este ato demonstra sensibilidade do Executivo municipal em relação à temática e ao protagonismo dos povos indígenas e demonstra que o Estado cada vez mais tem que respeitar seus porta-vozes legítimos”.

Em Diamante do Oeste são cerca de 170 famílias da etnia Guarani divididas em duas aldeias (Tekoha Añetete e Itamarã). Segundo levantamento da Secretaria Especial de Assuntos Fundiários do Governo do Estado, a região está entre uma das áreas do Paraná em situação de vulnerabilidade social, com as famílias abaixo da linha da pobreza.

Crédito: Júlio Carignano

unnamed (2)

Prefeito Renato e Adriano