Dr. Rosinha se reúne com movimentos sociais para fortalecer ações populares em Cascavel

O Presidente Estadual do Partido dos Trabalhadores, Dr. Rosinha, esteve na terça-feira (31) à noite em Cascavel para participar de uma reunião de líderes dos movimentos sociais e de sindicatos de trabalhadores de várias categorias profissionais para fortalecer as ações da Frente Brasil Popular em Cascavel e região. O encontro foi realizado no plenarinho da Câmara de Vereadores de Cascavel, reunindo representantes de várias instituições e organizações sociais.

Pelo menos 25 instituições estão se mobilizando na cidade e região para fortalecimento da Frente Brasil Popular e para a organização de ações em favor da retomada de um projeto político popular para o país. Na reunião, ficou clara que a organização social é a única alternativa para fazer frente ao projeto conservador que vem destruindo as bases sociais em desfavor aos trabalhadores.

Dr. Rosinha, que é pré-candidato ao governo do Paraná pelo PT, reiterou no encontro que o país vive um momento de instabilidade “numa conjuntura de caos político e institucional”. Segundo ele, nesse cenário as instituições perderam credibilidade, sob pena de as pessoas também perderem as esperanças num futuro melhor. “As pessoas esperam um líder que possa mudar essa conjuntura. E Lula é o único líder capaz de unir nossa gente e de mudar esse cenário. O grande debate nessas eleições é em âmbito nacional, num processo classista. Todos os pré-candidatos que se apresentaram com destaque até agora são representantes de um mesmo grupo social, das elites econômicas. O único que representa a retomada de um projeto popular para o País é o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva”, lembra.

Segundo Rosinha, “só as organizações populares podem dar uma resposta positiva à luta pela retomada de um projeto de governo popular no Brasil. Vamos dar essa resposta eleitoralmente, ampliando a representação progressista nas bancadas federal e estadual e elegendo Lula presidente”.

Outro líder presente ao encontro de ontem, um dos representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e também um dos coordenadores da Frente Brasil Popular na região, Celso Barbosa, destaca que o momento é de fato dos mais difíceis para os trabalhadores, para a classe operária. “Isso exige de cada um de nós cada vez mais a luta organizada no sentido de resgatar o debate que promova uma reflexão coletiva em que se possa construir uma solução que zele pela classe operária. Nesse movimento de resgate contamos com a unificação de forças entre os líderes sindicais de trabalhadores, movimentos sociais”, diz.

Para o líder sem-terra, “a única chance de termos um projeto político de governo, com verdadeiras políticas públicas para a classe trabalhadora, capaz de fazer frente ao projeto das elites desse governo golpista, é Lula. É o único capaz de fortalecer esse projeto popular e reunificar o país. Não há outra alternativa. Só nos resta fortalecer a organização para as lutas e unificar os movimentos sociais, as instituições sindicais de trabalhadores. Só assim teremos de novo um projeto que nos permita voltar a sonhar um país mais justo e humano para nossos trabalhadores, para nossa gente”, destaca.

O vereador Paulo Porto (PCdoB) reforça a necessidade de unir forças aos movimentos sociais em torno de uma frente progressista. “Nesse contexto, de retirada de direitos e ataques às instituições e aos movimentos sociais, obra de um governo ilegítimo, a soberania está seriamente ameaçada. Então, é de fundamental importância a unificação dos movimentos no sentido de retomar um projeto de Brasil Popular para fazer frente a esse governo golpista. Cabe a nossa gente entender a gravidade do momento e unir forças nessas eleições de 2018 para garantir a presença do campo progressista na disputa eleitoral, em condições de vitória”, disse.

Os movimentos sociais e organizações sindicais de trabalhadores que compõe a Frente Brasil Popular voltam a se reunir em mais alguns dias para definir novas ações no sentido de fortalecer a Frente e os projetos populares.

Texto e fotos: Claudemir Hauptmann