Em Quedas do Iguaçu, camponeses e povos indígenas se unem em ato pró Lula

Em Quedas do Iguaçu, camponeses e povos indígenas se unem em ato pró Lula

Enquanto a chuva ameaçava, mas se continha para não cair, a praça principal da cidade de Quedas do Iguaçu era tomada. Do topo de arcos de concreto, dois meninos se equilibravam para fixar faixas de apoio a quem estava para chegar. A identidade do visitante ilustre não era, segredo, estava estampada em camisetas e bandeiras, carregadas por pessoas das mais variadas gerações. Mas não era apenas a população da cidade, marcada pela resistente presença do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, que formava o público que recepcionaria Luis Inácio Lula da Silva e sua brava caravana. Muitos vieram de outras localidades para participar do momento histórico. Entre deputados, vereadores e demais lideranças, naquele dia 27 de março, também estava o vereador Paulo Porto, que saiu de Cascavel rumo a Quedas quando o sol mal tinha se apresentado.

Por ser indigenista e, consequentemente, ter contato com os povos indígenas da região Oeste do Paraná, foi a Paulo que lideranças indígenas Caingangue e Guarani da Terra Indígena Rio das Cobras procuraram para viabilizar uma conversa com o eterno presidente Lula. Para o encontro, os guerreiros Caingangue pintaram seus corpos, com o objetivo de transmitir a força do seu povo ao pré-candidato à presidência. Enquanto se preparavam, em local próximo à concentração, os indígenas despertaram a atenção de quem por ali passava. Inclusive de um sem-terrinha, que após longo período de observação pediu à liderança Neoli Kafy Olíbio que pintasse seu rosto.

Do momento, um registro em forma de foto simbolizava a conjuntura do Oeste do Paraná, onde o latifúndio tenta engolir o direito a terra em detrimento dos camponeses e dos povos indígenas da região. Ao chegar, antes mesmo de subir ao palanque, Lula foi abençoado pela liderança religiosa Guarani, Marcolino da Silva.  Já Neoli Kafy Olíbio, conversou com o presidente sobre a luta pelos direitos dos povos indígenas.

 

Eleições sem Lula é fraude!

Durante seu discurso no grande ato de Quedas do Iguaçu, o vereador Paulo Porto ressaltou a luta do povo de Quedas do Iguaçu e reforçou a importância da união popular com o objetivo de garantir que Lula seja candidato. “Toda vez que somos acuados em Cascavel, eu lembro de Quedas. Porque se nós perdemos lá, nós seguimos ganhando aqui. Por isso é fundamental essa demonstração de força de vocês. Quando eles jogam ovos no Lula, quando tentam não permitir que a caravana siga, quando lutam contra a democracia, não é contra o Lula, eles lutam contra o que o Lula representa”, destacou Porto que lembra que no governo Lula, filhos de trabalhadores puderam chegar à universidade. “É fundamental, nós trabalhadores nos emanarmos junto ao companheiro Lula. A briga é por um projeto de Brasil que conseguimos construir ao longo de 15 anos e agora querem tomar de nós. Mas vocês estão aqui em Quedas dizendo que não vão tirar este Brasil de nós! Sigamos com Lula presidente! Eleição sem lula é fraude”, destacou.

 

CRÉDITOS FOTOS 1 e 3: Ricardo Stuckert