Moção de apoio dos professores à Casa de Passagem Indígena

Moção de apoio dos professores à Casa de Passagem Indígena

Nós trabalhadores e trabalhadoras da educação da região Oeste do Paraná, reunidos no dia 30 de Agosto de 2013, em manifestação histórica referente ao dia do massacre de 1988 viemos a público manifestar amplo apoio e defesa pela construção da Casa de Passagem para os Índios. Entendemos que as comunidades indígenas são dizimadas e discriminadas pelos árduos defensores da sociedade capitalista, que pretendem transformar suas aldeias em latifúndios para o agronegócio. Entendemos também que essas comunidades não têm mais espaços de convivência sem apoio e solidariedade dos trabalhadores que lutam por um Brasil para todos os que vivem do trabalho. Por esta razão declaramos amplo apoio para construção da Casa de Passagem dos povos indígenas e repudiamos toda a manifestação de natureza fascista e discriminatória contra a população indígena.

Contraditoriamente, a burguesia cascavelense se auto-intitula defensora de uma sociedade com liberdade, mas quer impedir a liberdade de livre trânsito dos povos indígenas; essa mesma burguesia defende a liberdade para o mercado, mas não quer o índio comercializando suas mercadorias na cidade. A burguesia cascavelense com seus representantes na Câmara de Vereadores se diz defensora da liberdade de ir e vir, mas quer inibir o direito do índio ter um espaço de convivência na cidade, para se integrar a sociedade, nas instituições de ensino e manter autonomia econômica e cultural. Essas pessoas que se dizem parte de uma sociedade dita “civilizada”, contraditoriamente não possuem o conteúdo necessário para respeitar os povos indígenas como seres humanos com direitos iguais para transitar em todo o território nacional.

Com essa preocupação os trabalhadores da educação pública da região Oeste do Paraná, sentindo-se no dever de integrar-se na luta pela defesa da construção da Casa de Passagem do Índio torna público o apoio a construção da casa e ao mesmo tempo repudia o comportamento de vereadores que defendem abertamente a segregação dos povos nativos. Estes que são legítimos herdeiros destas terras, que foram desapropriados, desabitados, encurralados e que agora são motivos de longos discursos dos herdeiros do colonialismo europeus.

Pelo fim da segregação, pela educação para todos e pelo direito da integração de todos os povos

Cascavel, 30 de agosto de 2013
Professores da rede estadual de ensino