Movimentos sociais ocupam praças de pedágio

Movimentos sociais ocupam praças de pedágio

Tendo como pauta central a luta contra a privatização das rodovias paranaenses e pela redução das tarifas de pedágio no Estado, movimentos sociais ocuparam várias praças de pedágio neste sábado (29/06). Na região de Cascavel, centenas de integrantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) saíram em marcha do Assentamento Valmir Mota, na BR-277, até a praça administrada pela Rodovia das Cataratas na saída para Curitiba.

Após marcharem por dois quilômetros e meio, os militantes abriram as cancelas do pedágio que permaneceram assim por aproximadamente três horas. Além da manifestação pelo fim do pedágio, os movimentos sociais levaram bandeiras tradicionais da classe trabalhadora, como a luta pela reforma agrária e justiça social e a favor dos 10% do PIB para educação. “O trabalhador não aguenta mais os preços abusivos das rodovias privatizadas, o que encarece o custo de vida de todo o conjunto da sociedade”, comentou o assentado Armelindo Rosa.

Para o militante, além dos altos valores cobrados pelas concessionárias que administram as rodovias paranaenses, a ocupação de praças de pedágio foi uma escolha simbólica, pois representam um projeto de governo na perspectiva da privatização dos serviços públicos. “Além da reforma política ao qual apoiamos, também estamos aqui para chamarmos a atenção para a reforma agrária”, destacou Armelindo.

O vereador Paulo Porto (PCdoB) acompanhou a marcha dos sem-terra pela rodovia 277, participou do ato de abertura das cancelas e de uma panfletagem. “Este ato demonstra a insatisfação de toda a sociedade paranaense em relação aos pedágios de nosso Estado, mais uma vez o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra nos dá uma aula de luta e cidadania, a bandeira do pedágio se soma as bandeiras históricas como a reforma agrária e a destinação dos royalties do petróleo a educação”, comentou.

Ao final do ato, o movimento ‘Fora Pedágio’, organizado por empresários cascavelenses, se juntou aos sem-terra no ato contra as tarifas do pedágio no Paraná. Além de Cascavel,  outras oito praças foram ocupadas no Estado: São Miguel do Iguaçu (Rodovia das Cataratas), Arapongas, Floresta, Mandaguari, Presidente Castelo Branco e Corbélia, todas administradas pela Viapar, além das praças de Jacarezinho e Jataizinho, administradas pela Econorte.

Crédito: Júlio Carignano

MST06

MST02a