Paulo Porto debate as necessidades dos imigrantes haitianos

Paulo Porto debate as necessidades dos imigrantes haitianos

Grupo procurou o
vereador para propor uma entidade que agregue as pessoas vindas do Haiti após o
terremoto de 2010

Em reunião no gabinete do vereador Paulo Porto (PC do B), os
imigrantes haitianos Marc Metelus e Fritz Jacinte, acompanhados por Luiz
Roberto Pereira, discutiram sobre a situação da comunidade haitiana em
Cascavel.

Os imigrantes foram ao gabinete expor para Porto a situação
por qual eles passam no dia a dia. Cascavel tem hoje cerca de 5 mil pessoas vindas
ou com origens no Haiti, país da América Central que em 2010 sofreu um
terremoto de magnitude 7,3 na Escala Richter que destruiu o país deixando mais
de 250 mil mortes e obrigou muitos a saírem de seu lugar para buscar melhores
condições de vida em outros países, tornando-os imigrantes.

O Brasil é um desses países, e Cascavel uma das cidades
brasileira que os acolheu. Com a economia pujante na época a absorção pelo
mercado de trabalho foi rápida, mas não tranquila, e quase dez anos depois
ainda continua agitada. O principal problema que os imigrantes do Haiti
enfrentam está na barreira da língua – muitos ainda não conseguem falar o
português e nem entender – e o preconceito que é enfrentado diariamente.

Para tentar minimizar as dificuldades e ajudar a integração
entre haitianos e brasileiros, alguns imigrantes estão na busca de criar uma
Associação para organizar a comunidade e desenvolver atividades de inserção e
interação.

O Mandato Paulo Porto, que tem como característica a defesa
das minorias e dos trabalhadores, se colocou à disposição para ajudar a
mobilizar e organizar a comunidade haitiana de Cascavel.