Porto diz que Haddad representa  a esperança por um Brasil mais justo

Porto diz que Haddad representa a esperança por um Brasil mais justo

O Vereador Paulo Porto (PCdoB) usou a tribuna durante a Sessão Ordinária desta terça-feira (23) para declarar seu voto em Fernando Haddad (PT), no segundo turno das eleições presidenciais. Segundo ele, o que está em jogo nesse domingo (28), é mais que uma eleição. “Elegeremos mais do que um presidente, estaremos votando o futuro do país”, advertiu.

E em seguida, provoca a reflexão: “Afinal, que pátria nós queremos? Uma pátria da inclusão ou da exclusão? Uma pátria cujo o petróleo é nosso, ou uma pátria cujo o petróleo é dos gringos? Uma pátria com políticas públicas de combate à pobreza, ou uma pátria com o rosto duro do estado mínimo? Uma pátria com distribuição de renda ou uma pátria prenhe de mendigos e pedintes? Uma pátria altiva e altaneira, ou uma pátria de vira-latas?”. Porto diz que é preciso decidir por uma pátria em que a humanidade seja respeitada e redimida, um país sem linchadores e esquadrões da morte.

“Tudo isso será resolvido neste dia 28 de outubro: De um lado, a proposta democrática e civilizadora de Fernando Haddad, representando um Brasil que deseja desesperadamente reencontrar-se consigo mesmo e, do outro lado, a candidatura de Bolsonaro, que nada tem a oferecer a não ser a raiva, a mentira e o absoluto desprezo pela própria política e suas instituições”, ressaltou. Paulo Porto reitera que nessa polarização, de um lado, tem-se a democracia, “com todas suas mazelas, erros e acertos”, do outro lado, “o autoritarismo e a terra arrasada da burrice e da violência”.

Porto avalia que o atual debate político nunca teve a ver com a corrupção. “Mas apenas com ódio e com a raiva com que as nossas elites tratam o nosso povo, ódio às cotas, ódio ao bolsa-família, ódio aos médicos cubanos, ódio a carteira assinada das empregadas domésticas, ódio à CLT, ódio aos movimentos sociais, enfim, ódio ao pobre: ódio ao próprio povo brasileiro”.

O vereador encerrou o discurso declarando voto a Fernando Haddad, que neste momento representa mais do um partido ou uma bandeira.  “Ele representa a esperança de um Brasil justo e soberano, e reafirmo que este mandato jamais se acovardou, jamais fugiu ao debate, jamais abriu mão da lógica democrática. E, independente dos resultados das eleições, este mandato seguirá ao lado de onde ele sempre esteve: o da classe trabalhadora, do povo pobre, do povo brasileiro. Até a vitória”.