Porto faz homenagem especial aos professores que lutam pelos direitos

Porto faz homenagem especial aos professores que lutam pelos direitos

O vereador Paulo Porto (PCdoB) usou a tribuna da Câmara Municipal na sessão ordinária desta terça-feira (15) para prestar uma homenagem aos professores, pela passagem de 15 de outubro. Ele homenageou a classe educadora e deu ênfase aos que fazem a luta pelos direitos de todos a uma educação pública gratuita e de qualidade.
“Nesse 15 de outubro, Dia do Professor, é um dia de pouca comemoração. Por conta desses tempos de muitos ataques ao conhecimento, de muito ódio à educação”, discursou, lembrando de ataques recentes, como a pretendida extinção do Fundeb, debatida no Governo Federal, como a LGU, do governo do Estado do Paraná, “que visa mercantilizar as universidades estaduais” e o Future-se, no âmbito federal, “que deseja suprimir e terceirizar os recursos para as federais”.
Durante sua fala na tribuna, o vereador lembrou que naquele exato momento, estava sendo votada na Assembléia Legislativa do Estado o fim da licença especial dos servidores públicos, que atinge também aos professores. “O Governo Ratinho, no dia do professor, nos dá esse presente de grego, que é retirada a da licença especial, contra o funcionalismo e que nos atinge a todos”.
“Exatamente por isso, hoje dou os parabéns a todos os companheiros que lutam pelo direito. Parabenizo a todos, mas de forma especial aqueles que fazem a luta, que estão na Alep lutando pelo direito de todos nós”, disse o vereador. “É preciso reconhecer de forma especial esses que lutam pela educação, mas não apenas na versão mais óbvia no sentido de acesso. Mas por uma educação que seja emancipadora, uma educação que permita que as pessoas conheçam os códigos do mundo, que possam ver a realidade do mundo e assim, de forma consciente e emancipada, possam transformar a realidade”, disse.
O vereador dirigiu cumprimentos especiais aos líderes sindicais da categoria, como os da APP Sindicato, da Adunioeste, do Sinteoeste e do Siprovel, “sindicatos docentes que lutam sempre pelos nossos direitos”. “Porque nesses tempos de barbárie, de ataque ao conhecimento, mais do que nunca, é preciso lutar pela educação na perspectiva emancipadora. Lembrando que escola e educação são a última trincheira contra a barbárie. Parabéns a todos que se levantam e lutam, que seguem acreditando que nesses duros tempos, educação é principal instrumento que nos humaniza e emancipa”, disse.

Foto: Marcelino Duarte/Assessoria CMC