Porto comemora inclusão da comunidade surda com a criação do cargo de intérprete no Executivo

Porto comemora inclusão da comunidade surda com a criação do cargo de intérprete no Executivo

O vereador Paulo Porto (PCdoB) destacou durante a sessão ordinária da Câmara de Cascavel a aprovação unânime, em primeira discussão, do projeto do Executivo que cria no plano de carreiras do município o cargo de tradutor e intérprete de Libras (Língua Brasileira de Sinais). “Esse é um dia especial e histórico nessa Casa. Há muito tempo a comunidade surda de Cascavel vinha reivindicando a contratação de intérpretes como forma de incluir essa comunidade, permitir sua participação nos debates e na construção de políticas públicas inclusivas”, disse.

Antes mesmo da sessão, o vereador conversou com vários representantes da comunidade e da Surdovel (Associação dos Surdos de Cascavel). Ao fazer uso da palavra durante a discussão do projeto, Porto destacou que cabia parabenizar publicamente a administração municipal por encaminhar esse projeto. “Nosso debate hoje é sobre inclusão de uma comunidade importante e numerosa em nossa cidade. E esse debate se dá dentro de uma lógica civilizatória, humanizadora”, comentou Porto, lembrando inclusive que essa lógica vai contra uma lógica que vem se implementando em âmbito nacional, a partir de decisões do governo federal na condução de políticas públicas que ampliam as desigualdades sociais.

 

PRIMEIRO PASSO

 

Ainda em sua fala, Porto reiterou que não tem dúvida alguma que o projeto será aprovado em definitivo na sessão desta terça-feira (19), mas advertiu que esse projeto deve ser apenas o primeiro passo. “Outras políticas públicas precisam avançar de forma a permitir a inclusão dessa comunidade”, comentou. Para Porto, hoje foi votado um projeto para o Executivo, mas há necessidade agora de se avançar no debate para que ocorra essa inclusão também por parte da Câmara Municipal, que tem desde 2015 o cargo de tradutor e intérprete, mas ainda não foi chamado um concurso público para preenchimento dessa vaga. “E não se trata de mais um cargo na Câmara. Isso significa uma agenda positiva na direção de incluir a comunidade surda de Cascavel nos debates que ocorrem nessa Casa. Há a necessidade de que nossos vídeos, nossas transmissões ao vivo das sessões sejam feitas com a tradução em libras e com legendas para que toda nossa gente possa acompanhar e participar dos debates”, disse o vereador, que integra a mesa diretora da Câmara, como segundo secretário. “Se há uma diretriz, dessa mesa diretora, de promover uma maior aproximação entre o Legislativo e a população de Cascavel, precisamos partir para a prática e promover essa inclusão”, pondera o vereador.

Ao final dos debates em primeira discussão, com a aprovação unânime do projeto, o presidente da Câmara, Alécio Espínola (PSC) anunciou que estava assumindo um compromisso público de acionar os setores de forma que possa ser chamado um concurso público até o meio do ano. O presidente da Câmara parabenizou o Executivo pela decisão, lembrando que agora o “setor público terá intérprete nos eventos do Executivo, conforme lei. E nós, no Legislativo, já temos plano de cargo com essa função prevista. Vamos solicitar aos setores para chamar concurso de forma que a câmara também tenha suas reuniões e eventos com interpretação em Libras para que essa população esteja incluída e possa nos acompanhar”, disse.