Primeiros depoentes da CPI se reapresentam na próxima oitiva

Primeiros depoentes da CPI se reapresentam na próxima oitiva

A oitiva da CPI das Pedras (Comissão Parlamentar de Inquérito) da última terça-feira (21/05) – com cinco inquiridos – repetiu as versões das demais testemunhas já ouvidas. Segundo os servidores José Ricarti da Rocha, Hélio Antônio Bueno, Domingos Padilha de Lima, Alcides Rech e Francisco Guerra o coordenador dos trabalhos era Ivan Serafim Borges e o secretário de Obras e vice-prefeito Maurício Theodoro foi visto no Aeroporto, quando as pedras eram levadas à obra do taxiway.

A novidade ficou à reconvocação dos primeiros depoentes do processo. Ivan Serafim Borges, Valdecir Silva, Agnaldo Pereira de Carvalho e Dirceu Silva depuseram a portas fechadas no início da investigação e agora voltam a depor na próxima terça-feira (28), a partir das 8 horas. A medida corrige o equívoco cometido na primeira oitiva, que não levou em consideração o princípio legal da publicidade, garantindo a transparência dos atos públicos.

A CPI tem como presidente o vereador Claudio Gaiteiro (PSL), relator Paulo Porto (PCdoB) e secretário Paulo Bebber (PR).

O caso

O caso começou no início de 2013, quando surgiram denúncias de que a Prefeitura de Cascavel estaria retirando pedras de um trecho inutilizado da BR 163 para aplicá-las em obras de ampliação do Aeroporto de Cascavel.


Diante de acusações de retirada do material sem a devida autorização do Dnit ou DER, os vereadores Paulo Porto (PCdoB) e Jorge Bocasanta (PT) propuseram uma audiência do secretário de Obras em sessão plenária para esclarecer o fato.

Ao ser questionado, o próprio secretário Maurício Theodoro confirmou que havia uma solicitação em andamento aos órgãos responsáveis, mas que em razão da necessidade emergencial de conclusão da obra antecipou o processo sem ter em mãos a devida documentação autorizando. Foi o que motivou a instauração da CPI.

Fonte: Assessoria da Câmara
Foto: Flávio Ulsenheimer