Qualidade e uso da água: Alunos do IFPR apresentam propostas ao legislativo

Qualidade e uso da água: Alunos do IFPR apresentam propostas ao legislativo

Convocada pelos vereadores Paulo Porto e Celso Dal Molin, no dia 18 de abril foi realizada audiência pública com o tema “Ações para Evitar a Contaminação e Escassez das Águas em Cascavel”. O evento surgiu em decorrência de um indício de que a água consumida pela população da área rural poderia estar contaminada com agrotóxicos. Participaram da audiência, alunos e professores do Instituto Federal do Paraná (IFPR). Como fruto deste debate, alunos do curso técnico em Análises Químicas do IFPR formularam e enviaram à Câmara Municipal de Cascavel dez propostas, no sentido de contribuir com a solução dos problemas apontados durante e audiência.

“Quando a gente começou esse trabalho de cuidar da qualidade e da quantidade das águas da nossa cidade, nos surpreendemos quanto faculdades e escolas nos ligaram querendo participar de uma audiência pública sobre o tema. Abrimos espaço para o colégio Adventista, para a Unioeste e para o IFPR. Estas instituições trouxeram um grande número de alunos, todos preocupados com o seu futuro. Depois desta audiência, alunos do IFPR debateram e trabalharam durante uma semana na elaboração de um projeto e entregaram a nós – a mim e ao vereador Paulo Porto – que estamos à frente deste trabalho. A sociedade está preocupada com o meio ambiente e com as nossas águas e nós, como legisladores, vamos representar esta preocupação da população e levar isso a frente”, destacou Dal Molin.

O vereador Paulo Porto, por sua vez, destacou que o documento enviado à Câmara de Vereadores, pelo Instituto Federal, revela três coisas fundamentais. A primeira é que a Câmara está correta em levantar de maneira prioritária esta bandeira, assim como faz o executivo e o judiciário. A segunda é que este documento indica que a sociedade começa a se preocupar e entender que o uso abusivo de agrotóxicos não é problema de alguns produtores, mas sim de toda a sociedade, por ser uma questão de saúde publica. A terceira é que, a sociedade começa a participar, enviando encaminhamentos aos vereadores. “A Casa precisa estar à altura deste movimento, acatando estes encaminhamentos, no sentido de estar pautando, de maneira cada vez mais assertiva, a questão do uso abusivo de agrotóxicos em Cascavel. Seja através de leis, fiscalização ou vocalização, como a que estamos fazendo neste debate junto à sociedade. Por isso, como vereador, saúdo a participação destes estudantes e professores e entendo que esta iniciativa vem a contribuir de maneira muito positiva neste debate”, destacou.

 

Quais as propostas?

A primeira proposta consiste em estimular (em conjunto com o poder executivo) sistemas de captação de água da chuva em prédios públicos municipais. “Ação que proporcionará o uso racional da água e serve como exemplo para os habitantes do município”, destacou o texto. Para tal, os alunos sugerem a obtenção de fontes de financiamento municipais, federais e de agências de fomento internacional, como BID, BIRD, JICA, etc.

Os alunos também sugerem a criação de campanhas de conscientização para a população sobre o uso adequado da água, aproveitando o sistema de publicidade dentro dos ônibus e terminais urbanos para a divulgação. Este trabalho de conscientização se estenderia também às escolas da rede municipal, através de um programa permanente de palestras e peças de teatro educativas com a temática do uso correto da água. Também foi proposta a criação de um canal de denúncias sobre condutas irregulares sobre a temática e a criação de um Fórum municipal permanente para discutir o uso da água.

Outra pauta que os alunos do IFPR compreendem ser importante é a promoção de discussões sobre o uso de agrotóxicos no município, bem como estimular a comercialização de orgânicos por meio de feiras específicas em diferentes bairros. Além da discussão, os alunos reforçam a importância em realizar estudos de verificação da eficiência e aplicação da Lei municipal nº 4631/2007, que trata do Programa Municipal de Conservação e Uso Racional da Água e Reúso em Edificações.

No documento, os alunos também propõem um convênio entre o executivo e o IFPR no sentido de realizar ações de pesquisa e extensão em parceria entre as instituições, com envolvimento dos alunos do campus Cascavel. Bem como, estimular entidades a realizarem análises independentes sobre a qualidade das águas da cidade.

Por fim, eles sugerem que, em conjunto com o executivo municipal, a Fundetec, o Conselho Municipal de Meio Ambiente e entidades de ensino e pesquisa, criar um concurso anual ou bienal, por meio de edital, para premiar as melhores ações e inovações sobre pesquisa, uso e manejo de água e efluentes em Cascavel.