Vigília “Resistência Camponesa” recebe Voto de Louvor

Vigília “Resistência Camponesa” recebe Voto de Louvor

Compartilhe

Homenagem proposta pelo vereador Paulo Porto ressalta a organização
popular e a luta pela terra

O Vereador Paulo Porto (PCdoB) protocolou
na Câmara Municipal de Cascavel, voto de louvor para a “Vigília
Resistência Camponesa: por terra, vida e dignidade
”. A vigília é uma
ação dos agricultores dos acampamentos Resistência Camponesa, Dorcelina Folador
e 1º de Agosto, todos localizados no complexo de fazendas Cajati, em Cascavel. O
objetivo é denunciar as ameaças de despejos autorizados pelo governador Ratinho
Junior (PSD) aos agricultores que vivem nos acampamentos na área ocupada as
margens da rodovia BR 277 no km 557, na saída para Curitiba. Ao todo são 213
famílias, cerca de 800 pessoas, sendo 250 crianças e 80 idosos.

A vigília teve início no dia 28
de dezembro de 2019, após as ações da polícia em retirar famílias de várias
áreas no estado, e serve para manter a organização das famílias e mostrar para
o governador Ratinho que existe produção agrícola nos acampamentos e todas as
famílias acampadas dependem da terra que estão para a subsistência. Para Angela Lisboa Gonçalves,
integrante da direção do acampamento Resistência Camponesa, a terra é o que
garante a dignidade das famílias. “Aqui é o lugar onde produzimos a vida e o
alimento, é onde trabalhamos. Se tirar a terra da gente, além da nossa moradia,
vão tirar o nosso trabalho e a nossa vida digna”, diz. “Essa é uma Vigília de
resistência”, enfatiza, garantindo que a ação só terminará quando a área for
desapropriada e destinada à reforma agrária.

Para Porto, a organização das
famílias é fundamental para o momento por qual o Brasil e o Paraná passam, com
administrações ligadas ao latifúndio “Hoje os agricultores sem terras estão se
organizando para dar um basta à violência do governo de Ratinho Junior, que
lamentavelmente segue a mesma lógica do governo de Bolsonaro em nível federal.
Já foram mais de 500 famílias despejadas e a luta agora é por nenhuma a mais”
afirma o vereador que é professor universitário e ligado aos movimentos
sociais. “A reforma agrária não se resolve com despejo” conclui.

O voto de louvor deve ser
entregue na segunda quinzena de março no local onde acontece a Vigília nas
margens da BR 277 na entrada dos assentamentos.

Texto: Fábio Conterno –
Assessoria de Imprensa Mandato Paulo Porto / Foto: Paulo Porto