Porto mostra websérie nacional que destaca lei municipal de combate aos agrotóxicos

O Vereador Paulo Porto (PCdoB) ocupou a tribuna na sessão da Câmara para falar sobre a websérie documental Viva Sem Veneno, que dedicou um episódio para relatar o caso da contaminação aguda de crianças e professores nas Escolas do Campo, como a Zumbi dos Palmares, localizada no assentamento Valmir Mota, em Cascavel, e no Colégio Estadual do Campo Pedro Rufino de Siqueira, de Espigão Alto do Iguaçu. O documentário é parte de uma produção considerada hoje uma das mais importantes frentes de resistência aos agrotóxicos no país, envolvendo movimentos sociais, intelectuais e pesquisadores.

Porto, autor da lei municipal 6.484/2015, que proíbe o uso e aplicação de qualquer tipo de veneno próximo a escolas e colégios, Cmeis, Unidades básicas de saúde, e núcleos residenciais, é um dos personagens na websérie. A lei surgiu exatamente do debate que se sucedeu ao caso da contaminação das crianças na escola Zumbi dos Palmares.

Durante a sessão, o vereador reiterou a necessidade de se ampliar os debates públicos sobre o uso abusivo de veneno no país, que já é o maior mercado mundial de agrotóxicos, principalmente para motivar a criação de leis protetivas, como a aprovada em Cascavel, apresentada como modelo e que vem sendo replicada em municípios de diversos estados. “Precisamos falar sobre os agrotóxicos na perspectiva de assegurar o futuro das próximas gerações”, diz.

Na sessão, o vereador exibiu o episódio 7 da websérie, com duração de 5 minutos. A websérie da agência Social Ideias, é uma das maiores campanhas de advocacy em andamento no Brasil sobre esse tema. A série documental é feita em parceria com o Observatório do Agrotóxico, Fórum Nacional de Combate aos Agrotóxicos, diversos Fóruns Estaduais de Combate aos Agrotóxicos, APREAA – Associação Paranaense das Vítimas Expostas ao Amianto e aos Agrotóxicos, MPT-PR – Ministério Público do Trabalho no Paraná, Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva da UFPR – Universidade Federal do Paraná e muitas outras entidades de saúde, meio ambiente e trabalho.

Cada episódio da websérie trata de um assunto diferente, porém sempre relacionado a esse tema urgente dos efeitos dos agrotóxicos na saúde e no meio ambiente e também sobre um tema que cresce no mundo inteiro: a agroecologia e suas ciências como alternativas de produção de alimentos saudáveis, ambientalmente corretas e socialmente justas.

A campanha e os capítulos da já disponíveis da Websérie podem ser encontrados nos seguintes endereços:

www.vivasemveneno.com.br

www.facebook.com/vivasemveneno

Crédito para foto: Flávio Ulsenheimer/CMC